Imprimir

Estudantes participam do projeto da Prefeitura com Instituto Shogun

. Postado em Notícias

 

GRAFITE 1

 

Estudantes do Colégio Estadual Getúlio Vargas, no Cachoeira (Regional Boa Vista), são os primeiros a participar do projeto Oficina da Luta, Vida de Campeão. Firmado em março entre a Prefeitura e o Instituto Shogun Rua, o projeto foi idealizado pelo campeão de lutas marciais Maurício Shogun Rua.

Na tarde desta quinta-feira (12/4), os estudantes conheceram e acompanharam, no pátio da unidade, o processo de criação dos artistas que estão em Curitiba para o evento de grafite Street of Styles.

“Foi um processo de sensibilização para as atividades que ofereceremos no Parque Barreirinha e também de ajudar na revitalização da escola”, explicou o diretor de Políticas Sobre Drogas da Secretaria Municipal da Defesa Social e Trânsito, Cristiano de Bastiani.

O parque é o local onde acontecerão as oficinas de esportes e cultura do projeto, assim que passar por reforma. O diretor da unidade, Marcos Aurélio Santos, agradeceu a oportunidade. “Atividades como essa atraem, agregam e ajudam a tirar os garotos da rua”, disse.

Curiosidade e expectativas

Quinze estudantes de ensino fundamental e médio do período da manhã foram selecionados para a atividade. A expectativa era grande. “A gente ajudou a transformar o muro em fundo preto para essa galera (os artistas) grafitar e, agora, quer grafitar também”, disse o aluno do 9º ano Allan da Silva Perez, de 16 anos. A oficina continua na próxima semana, quando será a vez de eles grafitarem o muro em volta da quadra esportiva.

Do 2º ano do Ensino Médio, Thayna de Souza Barbosa, também com 16 anos, não vê a hora de ficar de frente para o muro com as latas de spray colorido na mão, mas, em vez de desenhos, quer escrever. “Já enchi o muro da casa da minha avó de poesia. Quero colocar frases de inspiração aqui também”, contou.

Da mesma série e idade de Thayna, Cristian Camargo de Oliveira já estava satisfeito de ter os artistas à sua frente. “Estou achando o máximo ver o modo de execução deles, a habilidade com que fazem cada detalhe das figuras que vão surgindo. Para mim, isso é uma forma de arte”, afirmou.

Convite que veio das redes

Entre os artistas visitantes da escola estava o guatemalteco José Pablo Rosales Cabrera, que faz faculdade de Design Gráfico e Marketing em seu país e trabalha com grafite. “Cultura, que também é essa oportunidade que estamos tendo aqui, é uma forma de afastarmos a violência”, disse.

Rosales foi um dos 11 artistas que aceitaram convite feito aos participantes do Street of Styles, por meio das redes sociais, pelo coordenador da Central Única de Favelas (Cufa) em Curitiba François Ramalho, o Francês.

“É minha primeira vez em Curitiba e estou curtindo muito estar aqui, dando essa contribuição”, comentou o paulista Bruno Moraes, o Bil. A Cufa é parceira das ações relacionadas a políticas sobre drogas da Prefeitura.

 GRAFITE

Daniel Castellano / SMCS

GRAFITE 2

Daniel Castellano / SMCS

 

 

 

  • Compartilhe: